Arquivo mensal: junho 2011

O que é empreender?

Acredito que uma das melhores formas de buscarmos nossos sonhos e desejos é se tornando um empreendedor.
O simples ato de querer empreender já é um grande passo que você dará rumo as suas conquistas, é claro que este é um caminho árduo, afinal isto implica em te forçar a sair da comodidade, do salário garantido no final do mês, da inércia e da mesmice.
No entanto, empreender significa também você ousar, colocar todo o seu potencial força e energia naquele projeto que realmente acredita, motivar sua equipe para que todos juntos se unam em prol de um objetivo comum, ajudar a melhorar a vida das pessoas que compram seu produto ou serviço e principalmente ajudar a construir um país melhor.
Não ter medo de arriscar (mesmo quando todos ao seu redor falam que você está errado ou que é doido), saber se planejar e estar sempre aberto a coisas novas, são características válidas principalmente para os empreendedores da internet, afinal este é um setor bastante mutável onde tudo acontece muito rápido e de forma quase que diária.
Gosto muito da história do site Busca-Pé, hoje um dos grandes ícones do empreendedorismo brasileiro, esta empresa começou sua trajetória com apenas R$300,00 e na primeira ligação que receberam, os donos foram ameaçados de serem levados a justiça pelo diretor de uma grande loja que tinham seus produtos listados no site, me recordo também da história da netshoes, uma loja que começou com pontos físicos, foi aos poucos migrando para a internet e hoje está entre as principais empresas de comércio eletrônico brasileiro focando 100% de sua energia no ambiente web.
O Google é outro caso bastante curioso, quando ele surgiu no mercado, já havia muitos outros sites de busca, mas porque ele se tornou líder do setor? Porque os empreendedores através de estudo dos concorrentes existentes e muito planejamento, souberam oferecer serviços exclusivos de maneira diferenciada.
Por isso, respondendo a pergunta do titulo, empreender é ao meu ver, superar obstáculos, surpreender as pessoas, conquistar seu espaço e principalmente, deixar a sua marca neste mundo tendo a certeza de que fez a sua parte…

Anúncios

A realidade de se buscar apoio de um anjo

Recebi recentemente um comentário do leitor Renato Caillaux pela rede exame pme, no qual o mesmo deu seu parecer sobre o perfil do investidor anjo, é interessante destacar, que o Renato já participou de diversos eventos sobre empreendedorismo, inclusive apresentou seu projeto no seminário internacional de empreendedorismo em 2010, do qual não recebeu nenhuma ligação mesmo tendo apresentado para vários investidores, ainda assim Renato foi persistente e o projeto será lançado em 30 dias. Pequeno investimento e perspectiva de crescimento astronômica.

Segue abaixo suas considerações, que diga-se de passagem, são muito boas e acredito que convêm com a realidade brasileira:

 • Existe muito dinheiro no mercado, mas os investidores são na verdade bem pouco empreendedores, faze-los tirar a grana do banco é muito, mas muito difícil mesmo. E, quando resolvem tirar, é uma fração do que o empreendimento promete.

 • Não basta ser um negócio, inovador e com boa perspectiva de crescimento…tem que ser um negócio com investimento muito baixo e com retorno estratosférico. Isso acaba criando um filtro natural para negócios direcionados ao TI, que seguem este conceito.

 • Projetos de ‘tijolo’ dificilmente encontram um investidor realmente empreendedor, capaz de te ajudar a alavancar seu projeto, na idealização e governança dele.

 • Já estive em contato com alguns investidores e fiquei impressionado com alguns investimentos que viraram simplesmente nada, depois do aporte… E aí, onde está a qualidade e competência de avaliação da banca? Sei que acertar sempre é utópico, mas te confesso que, com o que vi, não foi difícil enxergar que não daria em nada.

 • Eu tenho alguns projetos já escritos e com análise de viabilidade, algumas idéias realmente inovadoras, mas não encontrei ainda um investidor em sinergia com os meus projetos.

 —————-

E você? Já conseguiu apoio de algum anjo? Conte para gente a sua experiência

O melhor serviço é o ‘não serviço’ ao cliente

Estive esses dias para trás dando uma olhada em algumas revistas antigas sobre negócios que tenho e me deparei com esta frase na edição de setembro de 2008 da  revista Época Negócios.

Realmente é uma matéria antiga, mas achei interessante e resolvi postar aqui.

O artigo fala de Bill Price ex diretor da Amazon, que revolucionou o setor de serviços da empresa ao diminuir o contato dos clientes com a organização, um fato interessante que ele disse é que as pessoas não querem ter um relacionamento com sua empresa, querem apenas ter uma boa experiência com o produto que você vende.

Apesar de eu não concordar muito na questão do cliente não querer se relacionar com a empresa (afinal de contas em plena era das redes sociais, o relacionamento da empresa com o cliente vem sendo o fator primordial de sucesso de muitas organizações, além disso quando falamos em relacionamento isso não se aplica apenas em casos de reclamações), sua filosofia ajudou a Amazon a reduzir custos e exibir elevados níveis de satisfação do consumidor.

Segundo ele, existe 7 mandamentos que o nortearam a alcançar estes resultados positivos, segue a lista abaixo:

 1: Elimine contatos idiotas. Não ofereça opções de atendimento desnecessárias. Não pendure o cliente ao telefone.

 2: Crie mecanismos de auto-atendimento. Use de forma efetiva a internet, os quiosques e as mensagens de SMS

 3: Seja proativo. Alerte os clientes sobre eventuais problemas. Não espere o contato deles.

 4: Facilite o contato com a empresa. O cliente tem de saber como acha-lo facilmente.

 5: Compartilhe a filosofia do bom atendimento. Todos na empresa devem participar da melhoria dos serviços.

 6: Ouça e aja. Aproveite as informações dos clientes para melhorar os produtos ou serviços.

 7: Seja rápido e assertivo. Se o cliente ligou é porque precisa de algo que não foi resolvido antes.

FONTE DA IMAGEM: Google Imagem

Formatando o modelo de negócio de sua Startup!

Acredito que uma das partes mais difíceis do planejamento de uma startup, é a definição exata do modelo de negócio e de como a empresa irá atuar. Aliás acho que essa dificuldade de moldar no ponto certo um negócio não se cabe apenas aos empreendedores digitais mas ao qualquer tipo de empreendimento.
No meu caso por exemplo, que me encontro na fase de planejamento da minha empresa, até chegar no formato ideal de negócio, a idéia passou por diversas mudanças, é um tira-coloca que fiquei até perdido em alguns momentos, no inicio eu tinha dificuldades até em expressar o que era a minha idéia, hoje já consigo expor meu projeto de forma clara,madura e principalmente, em poucos minutos.
Acredito que esta parte é uma das mais importantes pois quando a empresa já esta em execução, se torna difícil moldá-la, então aproveite que a sua idéia está ainda só no papel e trate de rabiscar o máximo possível até chegar a um modelo de negócio que atenda as necessidades de seu publico alvo.
Deixo aqui algumas dicas que ajudaram bastante na formatação da minha idéia:

Converse com possíveis compradores de seu produto ou serviço, veja como eles se comportam quando você expõe sua idéia.

Se possível converse com pessoas ligadas ao ensino do empreendedorismo, no meu caso, conversei com meu professor da faculdade e através de um feedback dele, minha idéia foi se tornando mais madura e clara. Neste ponto esteja preparado para ouvir críticas que venha fazer seu projeto crescer e ganhar forma.

Leia tudo o que estiver relacionado a sua área e esteja atento as tendências de seu setor.

Participe de fóruns e comunidades de empreendedores, este é um campo fértil para discussões de diversos assuntos que podem lhe ajudar, no meu caso, cito a rede social exame pme, que inclusive com a ajuda de alguns membros, me ajudou a formatar a idéia inicial deste blog.