Bootstraping ou Venture Capital?

Postamos aqui na quarta-feira um artigo explicando o conceito de bootstraping, e como o texto foi bem recebido pelas pessoas reslvi publicar aqui hoje um post que vi ontem no Startupi.

Fala justamente da escolha que o empreendededor deve fazer entre Bootstraping e Venture Capital, o assunto foi debatido curiosamente essa semana também na Expo Y em São Paulo.

Vale apena conferi:

 

Bootstrap ou Venture Capital

Diego Remus

Fiquei super feliz com o painel que aconteceu logo na abertura da Expo Y (segunda-feira às 14h na Bienal do Ibirapuera,em São Paulo). Yuri Gitahy, Edson Mackeenzy, Danilo Amaral, Flávio Pripas e Paulo Puterman debateram sobre vantagens e desafios tanto de fazer uma startup com a própria grana (bootstrap) ou com investimento externo (tipo venture capital).

Óbvio que não há uma resposta única, um caminho preferencial que sirva para todos, uma receita pronta. Quero destacar algumas colaborações dos debatedores:

  • Paulo Puterman citou que já fez o ciclo todo de investimento com alguns projetos e acredita que, além da cultura, da experiência e do feeling, algumas coisas no ecossistema brasileiro de startups e investimentos em negócios tecnológicos precisam ser mais institucionalizadas, consolidadas. Tipo “mecanismos mais adequados”;
  • Yuri Gitahy explicou que “se você quer dinheiro, peça conselho e se você quer conselho, peça dinheiro”. Quem não vai te dar dinheiro, vai tentar de dar as melhores razões para não fazê-lo, então vai ser um grande feedback. E quem estiver livre-leve-solto para dar apenas feedback, talvez se apaixone pelo projeto e resolva investir (ou recomendar para alguém, ou ajudar a vender);
  • Edson Mackeenzy disse que o Videolog “vai bem, obrigado” e que chegou a recusar cheques com “generosa quantidade de zeros” – e quase apanhou do sócio Ariel Alexandre. Entretanto, reconhece que há momentos em que foi difícil fazer sozinho. Lembrou ainda que nem sempre “qualquer merreca” ajudaria de verdade;
  • Danilo Amaral, mesmo trabalhando com investimentos, recomenda que às vezes vale a pena o empreendedor ralar sozinho um tanto, para aumentar o valor do projeto/produto/empresa, e daí sim buscar um investimento. “O papel que podemos fazer é ajudar a cuidar e levar para outro nível”;
  • Flávio Pripas conta que a byMK foi crescendo organicamente em torno de uma ideia simples e pequena, com dinheiro próprio, mas que o momento é propício para aceitar investimento.

E você? Começou bootstrap? Teve venture capital? Qual é sua opinião?

Fonte da Imagem: Corbis

PS: Pessoal lançamos uma enquete bem rápida para sabermos o que vocês tem achado sobre o conteúdo do blog. Para participar clique aqui

Anúncios

Sobre Rômulo Sousa

Acadêmico de administração, estudante do mundo do empreendedorismo digital em fase de planejamento da sua empresa.

Publicado em julho 22, 2011, em Empresas. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: